sábado, 30 de agosto de 2008

A Graça na mãe para os filhos

Há um mistério na linguagem materna. Na maioria das vezes que recebi algum prognóstico da minha mãe algo acontecia. Mas não era nada “profético”. Eram coisas simples, do tipo: leva o guarda chuva que vai chover, saiba chegar e saiba também sair, dirige direitinho e etc...Para mim, quase um balzaquiano, é papo da mamãe protetora. Essas frases soam quase como um cacoete materno.
Minha mãe nunca foi supersticiosa. Tampouco mística em sobrenaturalizar tudo na vida. O que quero dizer é que “mãe” possui um vínculo mais do que intrínseco com o filho, uma ligação mais do que visceral dos ternos afetos e sentimentos profundos. É algo simplesmente misterioso. Em minha opinião, não existe exemplo no mundo que expresse o amor de Deus pela criatura que não seja o amor da mãe pelo seu filho. Como Deus fala através de uma mãe! São sinais que apontam algo, mas de forma sutil. O que mais parece um vício protetor falado quase inconsciente torna-se um insight divino que alerta despretensiosamente. Digo aos filhos: - cuidado nesses momentos dos alertas da mamãe! Esses momentos são completamente passivos de reflexão. Não afirmo com isso que há poder nas palavras de uma mãe. Como disse anteriormente, em minha opinião, são insights divinos, e se são divinos, vem pela graça de Deus e não pela vontade do homem. Que Deus ilumine as mães e através delas essa nuance da comunicação divina conosco, que somos filhos, seja levada em consideração na percepção dos fatos circunstantes. Que nós através desses chamados da Graça de Deus, puxemos o “freio de mão”...diminuamos o ritmo para discernirmos melhor as coisas.
Um abraço a todos!

Por Márcio

Um comentário:

Daiane disse...

Diria que um instinto feminino...
As casadas, creio eu, também são assim, meio mãezonas!